Com o avanço do comercio online e mudanças políticas ao redor do mundo, essa reportagem analisa o futuro das lojas de rua e shoppings no Brasil e no mundo

De alguns anos para cá, a Coreia do Sul se tornou um hotspot mundial. Culturalmente o país vem se desenvolvendo cada vez mais e exportando seus aspectos únicos e sua força criativa. Isso se nota facilmente, na música, o K-pop é particularmente um estilo musical que gradualmente está no radar global, no mundo dos cosméticos, marcas coreanas também estão tendo uma entrada feroz no mercado, sempre à frente, com as últimas tecnologias e disseminando-as como tendências e influenciando marcas super tradicionais.

Em Madri, não se esqueça dos clássicos da cidade. Mas também certifique-se de visitar estes bares, lojas e restaurantes menos conhecidos

 da capital espanhola.

Buscando investir na cidade de Milão e sua história, o grupo Prada adquiriu 80% de um dos cafés mais tradicionais da cidade: a Pasticceria Marchesi, inaugurada em 1824.

Hoje em dia, buscamos uma alimentação orgânica, roupas feitas de algodão orgânico e soluções para o nosso dia-a-dia que não prejudiquem o meio ambiente e tragam elementos toxicos para o nosso organismo.

Um olhar diferente para o street style de Milão durante a temporada masculina pelo olhar do fotógrafo Lucas Possiede. Na curadoria das imagens, buscamos pessoas com estilo autêntico e verdadeiro, com elementos que nos inspiram para (re)pensar a moda.

A campanha da coleção de Raf Simons primavera verão 2017 veio com ares de inspiração no próprio tema: a obra do fotógrafo Robert Mapplethorpe.

Com quase duas décadas de carreira na Riachuelo, uma das maiores varejista de moda do Brasil, Marcella Kanner conta sua trajetória, falando sobre o futuro do fast fashion – explicando porque no Brasil o assunto é diferente – e nos leva para os bastidores de alguns dos maiores eventos de moda dos últimos anos no Brasil, como o desfile da Versace e Lagerfeld para a gigante nacional. por JORGE GRIMBERG Marcella, qual é a sua formação e como você começou a trabalhar com moda? Eu comecei super cedo na verdade, Jorge. Quando eu comecei a cursar a faculdade de moda no Senac, a Riachuelo estava começando um departamento de moda que até então não existia. Tudo era comprado de fornecedores. Eu me formei em 1999, começamos a fazer isso em 2000. Eu comecei como assistente no infantil e passava o dia inteiro cortando papel, fazendo painéis. Eu não tinha ideia do…Continue Reading

Com propostas de design, gastrônomia e moda, aliadas a um novo estilo de vida low-key, o bairro se torna uma nova opção para o paulistano - ou turista -, buscando novas rotas além da Rua Oscar Freire ou Vila Madalena

Em uma conversa sobre a sua trajetória, Lee Oliveira conta o que despertou seu interesse por moda, o início da sua carreira como fotógrafo de street style, até o desenvolvimento de seu negócio multifacetado - que hoje, além da fotografia, inclui styling e consultoria criativa - com clientes como Valentino e The New York Times.

Antes de qualquer coisa, preciso confessar: eu sou fã de Madonna. Muito. Sempre fui e sempre serei. Nos grandiosos e duvidosos álbuns, nos looks excêntricos e duvidosos, nos bons e nos maus dias, eu confesso, para mim, não existe outro ser humano vivo tão relevante, autêntico e percursor na cultura popular.

A revista inglesa Dazed & Confused divulgou a capa da sua edição de Inverno 2016 estrelando as crianças do seriado Stranger Things, do Netflix.

O fotógrafo americano Bruce Weber será homenageado pela sua carreira com o prêmio Isabella Blow For Creators na primeira edição do novo Fashion Awards, que acontecerá em Londres, em Dezembro de 2016.